Conheça o guia com algumas das soluções para evitar entrar em incumprimento no fim das moratórias de crédito.

A Covid19 tem trazido grandes desafios económicos para todos, um deles relaciona-se com o fim das moratórias de crédito. Se viu os seus pagamentos suspensos por um longo período de tempo, esta medida excepcional está a terminar, por isso é importante que comece a preparar-se para este momento, em que acima de tudo, deverá evitar ao máximo entrar em situação de incumprimento.

Quer saber como poderá fazê-lo? Conheça já a seguir o Guia para evitar o incumprimento no fim das moratórias de crédito.

Veja algumas das estratégias que pode seguir para evitar cair na lista negra por incumprimento no final das moratórias.

O que são moratórias de créditos?

As moratórias de crédito apresentam-se como uma solução que tem por objectivo suspender o pagamento das mensalidades de crédito, durante um determinado período de tempo – as quais serão pagas mais tarde e com um alargamento do prazo, que se estende além do período do contracto inicial evitando assim entrar em incumprimento.

Por norma, os bancos e o governo recorrem às moratórias de crédito para ajudar as famílias, em períodos de crise como o do SARSCov2, em que os rendimentos ficam suspensos ou até, por vezes, deixam de existir. Por exemplo, em:

  • Situações de layoff: as empresas se vêem obrigadas a suspender alguns dos seus funcionários, reduzindo assim a sua a carga de trabalho semanal.
  • Situações de desemprego: as empresas não conseguem aguentar a pressão económica, acabando por fechar ou realizar despedimentos de parte dos funcionários.

Contudo, é importante que aqueles que estiverem abrangidos pelo regime das moratórias de crédito, comecem a trilhar um caminho para evitar entrar em incumprimento.

Siga algumas dicas com o Guia para evitar o incumprimento no fim das moratórias de crédito e-loan.

Guia para evitar o incumprimento no final das moratórias de crédito

Este guia tem como principal objectivo dar-lhe a conhecer algumas dicas de como poderá evitar entrar em incumprimento no fim das moratórias de crédito. Para isso, é importante que fique atento e procure fazer algumas anotações, caso seja necessário. Se ficar com dúvidas no final do post poderá realizar o seu comentário. Conheça já algumas dicas sobre como evitar o incumprimento no fim das moratórias de crédito 2021.

Dicas para evitar entrar em incumprimento no fim das moratórias de crédito

Negociar junto da instituição financeira, procurar alternativas para os créditos ou conhecer o modelo pari e persi são algumas das formas que o podem ajudar a evitar entrar em situação de incumprimento. Veja a seguir cada uma delas em detalhe.

Negociar a situação financeira com o banco

Se no fim das moratórias de crédito, perceber que não terá disponibilidade financeira para pagar os seus compromissos ao banco, a primeira coisa que deverá fazer passa por renegociar a sua situação.

Ninguém ganha com o incumprimento, por isso espera-se que a instituição onde tenha feito o pedido, venha a canalizar um conjunto de soluções para o ajudar, como nomeadamente:

  • O alargamento do prazo de contracto: onde poderá ficar a pagar as suas prestações de crédito por um maior período de tempo.
  • A carência de capital: onde ficará a pagar apenas a parte da prestação referente aos juros.

Outras soluções poderão surgir, de acordo com o seu processo, contudo é importante que tenha consciência de que este passo é fundamental para evitar entrar em incumprimento.

Procurar alternativas para os créditos

Se a resposta do banco não estiver à altura das suas necessidades, poderá pensar em outras alternativas: sozinho ou através da ajuda de um intermediário financeiro que o ajudará a encontrar as melhores soluções para o seu caso.

As alternativas para evitar o incumprimento com a ajuda de um intermediário de crédito passam por:

  • Transferência de créditos para outras instituições: nomeadamente para reduzir a sua taxa de crédito habitação.
  • Apresentação de alternativas de reestruturação financeira: como é o caso da consolidação de créditos, onde poderá juntar várias das suas prestações em apenas uma.

Saiba como usar os procedimentos PARI e PERSI a seu favor

Actualmente, existem dois instrumentos que tem como principal objectivo ajudar as famílias a lidar com situações de incumprimento:

  • O PARI: plano de acção de incumprimento.
  • O PERSI: procedimento extrajudicial de regularização de situações de incumprimento.
O que é o PARI?

Para os clientes que alertem a instituição financeira para o risco de incumprimento, podem vir a ter direito a uma reavaliação. Nos casos em que o cliente tiver capacidade de cumprir o pagamento das suas despesas ser-lhes-á apresentado um PARI.

O PARI é um plano de prevenção que se baseia num conjunto de procedimento internos, definidos por cada instituição financeira que o ajudará a evitar o incumprimento.

O plano encontra-se previsto pelo Banco de Portugal (BP). O Pari implica que as instituições devem pagar uma percentagem extra, próxima dos contractos de crédito concedidos aos seus clientes, para detectar eventuais indícios de incumprimento, mas também para promover acções rápidas de prevenção.

A presente medida entrou em vigor em Dezembro de 2013 e à semelhança do PERSI,  ficou registada em Diário da República pelo Decreto-Lei n.º 227/2012, de 25 de outubro.

Como funciona o plano de acção PARI?

Tal como foi acima referido, a possibilidade de entrar em incumprimento poderá ser detectada pelo próprio cliente ou pela instituição financeira.

Seja em qualquer um dos casos, deverão ser realizados todos os esforços a fim de evitar entrar em situação de incumprimento.

O PARI coloca em prática medidas de acção que visam a gestão de situações de risco de incumprimento, mediante os seguintes procedimentos:

  1. O banco entra em contacto com o cliente: o banco deverá entrar em contacto com o cliente 10 dias após detectar a dificuldade financeira e o risco de incumprimento.
  2. Doença ou desemprego: o cliente deverá informar a instituição financeira da sua situação e o banco tem a obrigação de informá-lo sobre todos os seus direitos e deveres, bem como fornecer informações sobre os canais de comunicação disponíveis para ambas as entidades se manterem ao corrente do processo.
  3. Possibilidade de renegociar com o banco: em caso de se verificar uma possível situação de incumprimento, o banco poderá apresentar novas formas de reestruturação das suas finanças como o crédito consolidado.

Note-se que, independentemente da situação que se venha a verificar, os bancos serão obrigados a acompanhar o PARI a partir do momento em que este for implementado. Caso o cliente sinta que não houve o devido acompanhamento por de parte da instituição, ele poderá apresentar uma reclamação ao Banco de Portugal.

Quais são os deveres do cliente bancário ao fazer um empréstimo?

Pedir um empréstimo é de facto, um acto que deve ser realizado com alguma precaução e consciência.

Antes de efectuar um pedido de empréstimo deverá ter em conta um conjunto de parâmetros importantes, como por exemplo:

  • Tem capacidade financeira suficiente para fazer face a um empréstimo: efectue uma avaliação de todas as suas despesas e de todos os seus rendimentos mensais para perceber se terá capacidade para pagar um empréstimo. Para o ajudar nesta tarefa, poderá descarregar gratuitamente a Folha de Cálculo e-loan. 
  • Aprenda a calcular a sua taxa de esforço: ao realizar um pedido de empréstimo um dos primeiros parâmetros que será avaliado pelo banco, reporta-se à taxa de esforço, a qual tem como principal objectivo rever a sua capacidade de fazer face aos seus gastos. Para aprender a calculá-la faça o download do Guia de Crédito Consolidado e-loan.
  • Forneça informações verdadeiras sobre a sua situação financeira: ao efectuar um pedido de crédito, seja o mais verdadeiro possível com a instituição, para que esta possa proceder a uma avaliação cuidada do seu pedido.

Depois de realizar o pedido e durante a sua vigência, seja cauteloso e procure antecipar potenciais riscos de incumprimento.

Antecipe acções e evite o incumprimento

Para aqueles que estiverem a beneficiar do fim das moratórias de crédito e sentirem que terão dificuldades em retomar as suas obrigações mensais, deverão avisar o banco ou a instituição financeira para que possam ser encontradas soluções para o ajudar.

Quais são os deveres das instituições financeiras fornecedoras de créditos?

A par dos clientes, também as instituições financeiras devem desempenhar um papel fundamental que ajude a prevenir e antecipar situações de incumprimento.

Estas devem avaliar, com algum critério, a capacidade financeira do cliente bancário e facilitar a comunicação com o mesmo para que este se sinta à vontade para revelar as suas dificuldades e a possibilidade de entrar em incumprimento.

guia-incumprimentos-moratorias

Saiba quanto tempo vão durar as moratórias de crédito: pública e privada

Confira o calendário completo dos prazos das moratórias.

Datas previstas para o fim das moratórias 2021TipologiaTipos de Crédito
31 de Dezembro de 2020.Moratórias privadas da ASFACCrédito pessoal.
31 de Março de 2021.Moratórias privadas de créditos Crédito hipotecário (multiopções, linhas de crédito permanentes
hipotecários).
30 de Junho de 2021.Moratórias privadas de créditos Crédito não hipotecário (pessoais da banca).
30 de Setembro de 2021.Moratórias públicas do EstadoCrédito habitação.

Confira os prazos das moratórias que ainda estão vigentes:

  • Se é cliente particular e aderiu às moratórias públicas de crédito habitação, prevê-se que elas terminem a 30 de Setembro de 2021.
  • Caso tenha aderido às moratórias privadas, a próxima data que deverá reter é a de créditos hipotecários ou pessoais da banca a 30 de Junho de 2021.
  • Além disso, para aqueles que estiverem abrangidos pelo  Decreto-Lei n.º 107/2020 prevê-se que a moratória de crédito termine a 31 de Dezembro de 2021.

Fim das moratórias de crédito para clientes empresariais

  • Para as empresas que estiverem a beneficiar de moratórias desde 2020 prevê-se que a sua data final seja até 30 de  Setembro de 2021.

Prazo de fim das moratórias de crédito para empresas que aderiram em 2020

  • No caso do crédito hipotecário será até 12 meses após a contratação da moratória. Quanto ao crédito pessoal prevê-se que a sua data-limite seja até 30 de Junho de 2021.

Prazo de fim das moratórias de crédito para empresas que não aderiram em 2020

  • Para aqueles que aderiram à moratória em Setembro de 2020 a mesma foi estendida de forma automática até à data de 30 de Setembro de 2021.

Além disso, para aqueles que aqueles que renovaram o pedido de moratória pública a 31 de Março de 2021, prevê-se que a mesma termine a 31 de Dezembro. O mesmo estabelece ainda, um período máximo de nove meses para empresas e particulares que beneficiaram de moratórias.

Se ficou interessado nas próximas datas do fim das moratórias de crédito, aproveite a nossa sugestão de leitura. Caso esteja à procura de soluções para evitar o incumprimento no fim deste período, continue com a e-loan porque vamos dar-lhe mais algumas sugestões.

Que outras alternativas tenho para evitar o incumprimento?

Evitar entrar em incumprimento é um aspecto fundamental que o ajudará a garantir  período pós moratórias de crédito 2021.

Está numa situação em que precisa de:

  • Liquidez adicional para concretizar novos sonhos.
  • Reorganizar a sua vida financeira.
  • Diminuir a sua taxa de esforço.
  • Pagar todas as suas dívidas.

Então, uma das soluções que o poderá ajudar, passa pela adesão ao crédito consolidado. Veja já a seguir algumas das vantagens desta solução que poderão ajudar a evitar entrar em incumprimento no fim das moratórias de crédito.

Crédito Consolidado para evitar incumprimento

O crédito consolidado é uma solução que tem como principal objectivo ajudá-lo a reorganizar as suas finanças. Com a consolidação de créditos, conseguirá reduzir as suas prestações mensais até 60% e ainda obter liquidação extra para aderir a novos projectos.

O crédito consolidado, apresenta-se assim, como uma das formas que poderá ajudar a evitar entrar em situação de incumprimento. Justamente porque ele permite que passe a pagar todas as suas mensalidades em apenas uma, obtenha uma reestruturação do seu orçamento familiar e consiga reduzir de forma significativa a sua taxa de esforço.

Além disso, com a redução das suas prestações mensais conseguirá obter uma margem de poupança, ou seja, algum fôlego financeiro para se preparar para imprevistos e conseguir pagar sempre as suas prestações, evitando assim entrar em incumprimento no fim das moratórias de crédito. Por fim, se assim o desejar poderá ainda obter dinheiro extra para aderir a novos projectos.

E então ficou interessado em saber mais sobre como o crédito consolidado poderá ajudá-lo a evitar entrar em situação de incumprimento? Conheça já a seguir, mais alguns detalhes sobre a consolidação de créditos.

Vantagens do Crédito Consolidado

São várias as vantagens associadas à consolidação de créditos, entre as quais podem ser destacadas as seguintes:

  • O pedido de consolidação é grátis: faça um pedido de consolidação de créditos sem ter que pagar nada. Utilize o simulador de consolidação de créditos e-loan.
  • Fique a  pagar apenas uma mensalidade: junte vários créditos em apenas um, fique a pagar apenas uma mensalidade, numa só data e num só banco.
  • Escolha os créditos que quer consolidar: não é obrigatório juntar todos os créditos num só, poderá escolher aqueles que quer consolidar.
  • Amortização simples: se desejar pagar o seu crédito consolidado, antes do período pré-definido, poderá fazê-lo desde que comunique com 30 dias de antecedência a sua decisão às instituições com quem estabeleceu o contracto.
  • Obtenha dinheiro extra para novos projectos: com o crédito consolidado poderá obter dinheiro extra para aderir a novos projectos e a um preço muito baixo.

Como simular um pedido de Crédito Consolidado?

Para simular uma consolidação de créditos só tem que aceder ao nosso Simulador de Crédito Consolidado e seguir as etapas apresentadas.

Passa o a passo para simular um crédito consolidado sem compromissos

  1. Aceda ao nosso site e faça uma simulação online.
  2. Faça o envio dos documentos pessoais através do nosso simulador abaixo apresentado:
  1. Após preencher todos os dados submeta o seu pedido de contacto.
  2. Depois, aguarde pelo contacto da nossa equipa de especialistas. Garantimos a resposta mais rápida do mercado, confira (2as a 6as das 9:00 às 19:00h, excluindo fins-de-semana e feriados).

Caso tenha dificuldade na recolha prévia dos documentos, poderá utilizar a ajuda do Assistente e-loan disponível no próprio simulador.

Simulação de pedido de Crédito Consolidado
A carregar