Disponibilizamos as melhores soluções de financiamento

Guia prático para o desemprego

Nas vésperas do dia do trabalhador, escrevemos este artigo para todos aqueles, que por algum motivo o deixaram de ser e que se encontram em estado de transição. Saiba quais os benefícios e obrigações para quem se encontra em situação de desemprego

1.Quem tem direito?

Tem direito a este apoio pago pelo o Estado , todos os trabalhadores que tiveram contrato de trabalho e que descontaram para a segurança social; Pensionistas de invalidez desempregados que fiquem aptos para trabalhar; trabalhadores domésticos e agrícolas; professores do ensino básico e secundário com contrato administrativo; ex – militares com contrato e em regime de voluntariado. Por outro lado, trabalhadores independentes , administradores, diretores e gerentes de empresas , pensionistas de invalidez e velhice  e quem, à data do desemprego, já puder pedir a pensão de velhice, não tem direito ao apoio do estado.

 2. Como calcular o valor do subsídio?

O valor do subsídio corresponde a 65% da remuneração de referência. O valor máximo é de € 1089,40, o equivalente a duas vezes e meia o valor do indexante dos apoios sociais (IAS).

Se ambos os cônjuges estiverem desempregados e tiverem filhos ou equiparados (enteados, por exemplo) a seu cargo, cada um recebe mais 10% do que o valor obtido no cálculo do subsídio. O mesmo se aplica às famílias monoparentais, desde que o desempregado não receba pensão de alimentos.

Fonte : DecoProteste

3. Como solicitar o subsídio?

Hoje em dia os pedidos podem ser feitos através segurança social direta e não é moroso, nem difícil.

O que é necessário?

De um modo geral o  desempregado deverá inscrever-se no centro de emprego da sua zona residencial antes de pedir o subsídio. Deverá depois disso, preencher o formulário de pedido de subsídio conforme a sua situação e ter consigo a carta de despedimento da entidade empregadora. Terá 90 dias para o fazer, sendo que existem alguns critérios que poderão atenuar ou atrasar este período veja mais aqui.

4. Quanto tempo dura ?

*Por cada 5 anos de descontos nos últimos 20 anos.

 5.Dicas para quem procura emprego

Com o mercado de trabalho bastante competitivo, com profissionais que hoje são de várias origens e nacionalidades e de uma multiplicidade de especialidades, podemos acabar por perder o emprego. Não é uma situação agradável, mas há sempre uma solução.

Seja organizado

Leve o tema como um emprego a tempo inteiro

Fale com quem sabe

Fale com quem já esteve na mesma situação

Adapte o seu CV aos vários empregadores e funções, para as quais está a candidatar-se

6. Quais os melhores sites para procura de emprego?

BEP- Bolsa de emprego pública – Site com ofertas de emprego na área pública.

Expresso emprego – Onde poderá encontrar em média mais de 1500 ofertas de emprego diárias.

Carga de trabalhos – Onde encontrará ofertas de emprego nas áreas específicas da comunicação, design, produção, audiovisuais, e marketing.

Sapo emprego e Net empregos – São talvez dois dos sites mais antigos na área valendo sempre uma vista de olhos.

Turijobs – Como indica o nome, é dedicado em exclusivo ao mundo da hotelaria, restauração e turismo.

Hoje em dia, quem pretende estar no mundo do trabalho, aprender, estar presente e relacionar-se com pessoas da sua área ou de uma outra que esteja interessada, não pode deixar de estar no linkedin.

 

BOA SORTE!